quarta-feira, 16 de julho de 2014

Capitulo 2

Núria? Afinal quem é Núria? Tem 21 anos, nasceu em Portugal, na cidade de Coimbra. O seu pai faleceu quando ela tinha apenas 7 anos mas nunca se sentiu desprotegida graças aos seus irmãos. Tem dois irmãos mais velhos, João e Tiago de 22 e 24 respetivamente. Desde muito nova que tinha o sonho de estudar num país estrangeiro e quando acabou o secundário foi o que fez. Partiu para Londres com 18 anos no verão de 2010 e licenciou-se em enfermagem veterinária em 2013. Em Londres conheceu várias pessoas e fez novas amizades entre elas: Eva e Siena. Duas raparigas fantásticas que conheceu na Universidade onde estudou.
Foi no seu estágio em Maio de 2013 que conheceu Eden, o seu atual namorado e aquele dia estará sempre na sua memória.

- Núria? – chamou a médica veterinária que trabalhava naquela clínica onde Núria estava a estagiar – consegues tratar daquele cão? – apontou para um pequeno caniche enquanto falava – tem a pata fraturada, consegues?
- Acho que sim – respondeu a medo.
Encaminhou-se para a sala onde e o cão e o suposto dono seguiram-na. Sentou-se numa cadeira junto de uma maca.
- Anda cá pequeno. – disse Núria fazendo sinal para o rapaz que trazia o pequeno cão ao colo.
Núria pegou no cão com todo o cuidado, colocou-o em frente dele e fez-lhe umas festas para o descontrair. Olhou para o rapaz que a olhava atentamente mirando cada coisa que fazia.
- É…teu? – perguntou um pouco envergonhada.
- Sim, não. – disse um pouco atrapalhado levando Núria a rir baixinho. – não é meu, estou a cuidar dele por uns dias mas acho que começamos mal.
- Como é que isto aconteceu? – perguntou-lhe enquanto ia ligando a pata do pequeno caniche.
- Não sei…cheguei a casa e…bem eu não sei.
- Mas deixaste-o sozinho em casa por muito tempo? – perguntou-lhe olhando-o, podia jurar que aqueles olhos claros dele começavam a ter algum tipo de poder sobre ela.
- Saí ontem de manhã e cheguei à pouco.  – Olhou para ela e sorriu mas depressa desapareceu aquele sorriso – mas eu não passei a noite fora! Quer dizer passei…mas em casa de uns colegas e…- atrapalhava-se a falar, falava preocupado.
Núria sorriu e passou a mão pela cabeça do cão, fazendo-lhe uma festa.
- Não me tens que dar satisfações da tua vida. – disse sorrindo – não tenho nada a ver com ela. – disse ela continuando com o seu sorriso típico na cara, não estava a ser fria nem nada parecido apenas estava a ser sincera.
- Sim, mas…- olhava seriamente para ela, acabou por se rir um pouco. O sorriso de Núria era contagiante – desculpa.
- Estás para aí a pedir desculpa de uma coisa sem sentido não te parece? – perguntou pegando no cão e entregando-o ao rapaz – cuida bem dessa fofura. – disse-lhe ternurenta.
- Posso saber o teu nome? – perguntou a medo.
- Núria. – respondeu-lhe sorrindo – e o teu é…
- Eden. – disse sorrindo-lhe.

Foi naquele dia que conheceu Eden e desde logo ficou encantada com os seus olhos, a forma como se atrapalhava a falar e mesmo aquele sorriso. 
Só na percebeu quem realmente era Eden e foi estranho.

Chegou a casa estafada, o dia tinha sido longo. Ao entrar deparou-se com as suas amigas e companheiras de casa deitadas no sofá. Eva e Siena estavam as duas ali. Saudaram-na e disseram-lhe para se sentar junto delas.
- Então cupcake? Foi cansativo o teu dia? – perguntou Eva sorrindo-lhe.
- Um bocadinho mas valeu a pena. – disse sorrindo e recordando Eden.
- Olha está apaixonada! – atirou Siena batendo-lhe ligeiramente com o comando no ombro.
- Au! – queixou-se – és muito bruta tu!
Núria olhou para a televisão atentamente estava a dar as noticias e congelou quando viu Eden ali na televisão, ouviu atentamente o que diziam e percebeu que Eden era Eden Hazard jogador de futebol num clube…clube esse que era Chelsea. A sua posição em relação ao futebol era de total ignorância. Não gostava nem odiava apenas lhe era indiferente aquela modalidade.
- Isto vai parecer estranho mas…- tentava arranjar as melhores palavras para dizer aquilo que realmente queria dizer.
- Mas? – perguntou Eva esperando a continuidade daquela ideia.
- O rapaz que eu conheci é aquele ali. – disse apontando para a televisão – Eden.
- Núria! – exclamou Siena – tu conheceste o Hazard?
- Se não conheci o Hazard conheci o irmão gémeo! – atirou.

Quando soube que ele era jogador de futebol sentiu um pouco de medo. Realmente tinha ficado apanhada por ele mas o facto de a sua profissão ser aquela assustava-a.
Percebeu rapidamente que Eden não era um sedutor de natureza, a forma que arranjou para voltar a ver Núria não foi a mais original. 

- Núria está ali alguém que quer falar contigo. – informou Elisabeth.
Quem poderia ser? Perguntou-se. Talvez uma das suas amigas, era as únicas pessoas que lhe ocorria naquele momento que podiam querer falar com ela.
- Eden – pronunciou quando o viu com o cachorro nos braços – passa-se alguma coisa com ele? – perguntou pontando para o cão.
- Não ele está bem. – assegurou. – se eu te disser que só estou a usar o cão como meio para chegar até ti, vais-me mandar embora?
Núria sorriu percebendo a falta de jeito de Eden para raparigas.

Conheceu Eden rapidamente. Eden Hazard, belga, pai de dois filhos: Yannis de três anos e Léo de nove meses. Separado de Natasha desde o inicio do ano, ainda antes do filho mais novo de ambos ter nascido.
 A relação deles, essa avançou rápido, depressa perceberam que se completavam e a relação começou por volta do mês de Julho. Os medos de Núria eram grandes, afinal ele era pai de dois meninos e separado da mulher.
Passaram muito tempo juntos no verão e a relação foi tornando-se cada vez mais séria. Em Outubro, no mesmo mês que arranjou emprego numa clinica veterinária, Eden convidou-a para viver com ele e Núria aceitou com a condição de ser só e apenas uma experiência. Mas foi antes de começar a viver com Eden, no dia em que arranjou emprego que conheceu Oscar que mudou a sua vida.

A discoteca estava ao rubro, tanto Siena como Eva se tinham dispersado e Núria encontrava-se sozinha no meio de tanta gente. Já tinha dançado, bebido e divertido ao máximo.
No meio da multidão bateu contra alguém que mandou a sua bebida para cima da sua camisola.
- Desculpa. – apressou-se a pedir o rapaz contra quem tinha batido.
- Mal empregada, estava tão boa. – foi a única coisa que Núria disse antes de se rir, tinha falado em português e apressou-se a dizer algo ao rapaz em inglês – não te preocupes, está tudo bem. – disse olhando-o.
- Portuguesa? – perguntou ele. Depressa percebeu que aquele português não era de Portugal.
- Uh, brasileiro? – perguntou ela. Finalmente podia falar a sua língua materna com alguém.
- Oscar – disse-lhe ele junto do ouvido.
- Núria. – disse ela também junto do seu ouvido.
Oscar pôde sentir a intensidade no olhar de Núria. Olhava-o de uma forma verdadeiramente intensa.
Durante alguns segundos ficaram apenas a olhar-se. Núria sentia um desejo estranho dentro de si, o desejo de Oscar que tinha conhecido nem há mais de 5 minutos…a verdade é que nem o conhecia. Sentia-se estranha parecia que o seu corpo não estava coordenado com a sua cabeça. Hazard estava na Belgica, Núria estava comprometida mas a vontade de conhecer o corpo daquele rapaz que tinha à frente falava mais alto.

Relembrava aquela noite sempre com um sorriso na cara. Tinha sido a noite. A noite em que conheceu Oscar, a noite em que teve das melhores noites da sua vida, a noite em que tudo começou.
No dia seguinte pensou que morreria quando percebeu quem era Oscar.

Era hoje que Hazard regressava da Bélgica. Núria iria estar com o seu namorado, matar as saudades que tinha dele.
Mal Eden chegou a sua casa avisou Núria que iriam jantar fora. Núria vestiu-se e saíram de casa para o tal jantar.
Quando chegou ao restaurante reparou que o jantar não era a dois mas sim a onze. Eden abraçou Núria pela cintura e começou por apresentar os rapazes que ali estavam, rapidamente Núria deduziu que fossem colegas de equipa de Eden.
- Willian – começou por dizer Eden apontando para um dos rapazes, Willian sorriu-lhe – Vanessa, a companheira do Willian – esta sorriu-lhe e Núria percebeu logo que seriam boas amigas - David, Ashley , Andre – todos lhe sorriam enquanto Eden os apresentava à namorada. – Ba, Peter e Oscar. – Oscar…Oscar ao contrario dos outros não lhe sorriu ficou fixado em Núria. – e esta é a Núria…a minha namorada. – acabou por dizer Eden descontraído.
Ao ver Oscar ali parecia que o chão lhe tinha fugido, sentia-se desemparada. Acabara de ter na noite anterior um momento daqueles com Oscar e agora ele estava ali à sua frente e era amigo do seu namorado.

Assustou-a, não vai dizer que não porque estaria a mentir, assustou-a bastante descobrir que Oscar era amigo de Eden.
Aos poucos tudo se foi dando de uma maneira natural…descobriu também que Oscar era comprometido com Ludmila mas mesmo assim nada mudou…Oscar não desistiu de Núria porque apesar de ter a sua namorada e gostar bastante dela Núria era algo diferente, desde o início que lhe proporcionou sensações incríveis. E o mesmo pode dizer ela que com ele sente uma segurança que não sente com Eden.
Desde então passou-se um mês de vida dupla, como Oscar lhe chama. Têm o seu apartamento onde passam aqueles seus tão característicos momentos a dois e tudo flui de uma maneira natural quando se fala de Núria e Oscar.


Acordou sem qualquer tipo de despertador apenas…acordou. A noite de ontem ainda estava bem presente na sua cabeça. Levantou-se, tomou o seu banho e vestiu-se. Iria ter com Oscar e isso deixava-a feliz. Preparou-se para sair de casa e Eden ainda dormia, depositou-lhe um beijo nos lábios e saiu daquela casa.
Dezembro havia chegado , frio e chuvoso…a verdade é que em Londres raramente havia bons dias. O sol punha-se em média por volta das quatro da tarde e Núria chegava sempre a casa de noite. Tinha saudades de Portugal, tantas saudades de tudo e principalmente do sol e do calor no Verão. Agora só no Natal iria a Portugal matar todas as saudades que tinha.
Chegou ao apartamento e Oscar ainda não tinha chegado. Sentou-se no sofá e deitou-se nele. Sentia-se cansada e ainda não tinha feito nada hoje.
  Ouviu a porta a abrir e olhou Oscar com um sorriso. Ele foi até junto dela e sentou-se ao seu lado.
- Cê ta bem? – perguntou-lhe ele beijando-a.
- Eu estou bem, estou. – respondeu-lhe colocando a sua cabeça no seu ombro – o que tenho é sono.
- Há cama. – respondeu.
- Oscar! – repreendeu-o.
- Cê é tão…- olhou-a e sorriu provocador.
- Sou tão sou.
- É…
- Do Eden Hazard.
- Hum não, não era isso não. Cê é demasiado para Hazard.
- Oh Oscar!
- É verdade! – disse olhando sério para Núria, ela sorriu discretamente.
Oscar lançou-lhe mais um daqueles olhares de quem queria mais do que a conversa que estavam a ter. Levou a sua mão à camisola dela, levantando-a um pouco e entrando em contacto com a pele de Núria. Aproximaram-se um do outro e juntaram os seus lábios calmamente mas foi o toque do telemóvel dela que os interrompeu.
Tiago…era Tiago o irmão mais velho de Núria, afastou-se um pouco de Oscar e compôs a sua camisola antes de atender.
- Olá. – disse ela.
- Que animação! – ironizou Tiago – está tudo bem?
- Sim…está. – disse atrapalhando-se ainda estava surpresa com aquela chamada.
- Eu também obrigada por perguntares. – disse irónico mais uma vez.
- Tiago…
- Queres saber porque te liguei?
- Sim quero. – respondeu com um certo medo.
- Daqui a 48 horas estou aí.
- O quê? – perguntou espantada e assustada.
- Tenho saudades tuas Núria e vou-te fazer uma visita.
- Aqui está a chover e mau tempo. – atirou.
- E…Núria tenho bilhetes comprados sim?
- Vens acompanhado? – perguntou admirada.
- Sim.
- Por quem? – perguntou curiosa.
- Por alguém.
- Está bem, não digas que não é preciso. – atirou de uma forma seca.
- Estou aí em dois dias.
- Mas oh Tiago….
Oscar não resistiu em se chegar novamente perto dela e passar a sua mão pelo corpo de Núria.
- O que foi? – perguntou-lhe Tiago não percebendo o porquê de ela não querer que ele fosse a Londres.
Oscar levou as suas mãos ao interior da camisola de Núria provocando-a.
- Oh Oscar! – repreendeu-o esquecendo-se que falava com Tiago.
- Oscar? – perguntou Tiago confuso.
- Sim…Oscar – disse ela, olhando para ele repreendendo-o – o meu cão.
- Tens um cão?
- Sim…um cão. – respondeu um pouco atrapalhada afastando o Oscar.
- Já me podias ter dito que tinhas namorado. – disse calmamente Tiago percebendo que não havia um cão chamado Oscar mas sim alguém.
- Pois, isso…namorado claro. – disse ela ainda meia atrapalhada.
- Nuri, o que se passa? – perguntou ele achando toda a conversa que estava a ter com a irmã estranha.
- Quando vieres com a tua tal companhia eu conto-te tudo. – disse quase de uma forma sarcástica já que Tiago mantinha a sua companhia em segredo desde o inicio da conversa.
- Contas… - disse Tiago quase não se ouvindo.
- Eu tenho que ir trabalhar não é? Por isso até daqui a uns dias.
- Tenho a ligeira sensação que me estás a despachar. – comentou Tiago com certezas daquilo que dizia, ele conhecia-a melhor do que ela imaginava.
- Estou mesmo! – disse sem se importar com a reação do irmão.
- Está bem, então adeus e beijinhos.
- Beijinhos. – disse com a sua voz mais doce – ah, Tiago vê lá se perdes os bilhetes.
Pôde ouvir o riso do irmão antes de desligar a chamada.
- Muito obrigada.- disse chegando-se perto de Oscar – Meu querido cão.
- Sabe que eu também mordo. – disse-lhe colocando-lhe a volta em torno do pescoço dela e mordendo-a ligeiramente.
- Mordes, eu sei que mordes. – Oscar ia falar mas ela encostou o seu dedo à boca dele impedindo-o que falasse. – e agora vais dizer: que tal a gente ir morder apara ali não é? E para te dizer a verdade até acho boa ideia. – olhou para o relógio contando os minutos – temos precisamente quarenta e cinco minutos.
- Come on babe… - disse Oscar pegando cuidadosamente na mão dela e encaminhando-os para o quarto.


Eden podia passar o resto da sua vida a olhar aquele momento ternurento entre Núria e Yannis. Núria tinha ficado junto do filho mais velho de Eden enquanto este levava o pequeno Léo a casa de Natasha. Agora que chegava via a sua namorada ali, deitada no sofá com Yannis nos seus braços, os dois dormiam ainda com a televisão acesa e alguns brinquedos pelo chão.
Olhava para aquele momento e recordava tudo: a forma como tinha contado a Yannis que era apenas uma crianças de dois anos e meio naquela altura, assim não conseguiu explicar-lhe grande coisa mas ao longo do tempo Yannis começou a criar uma relação única com Núria, era mimado por ela e sentia-se muito bem ao seu lado.
Chegou perto dos dois e tentou acordar Núria mas foi Yannis que acordou. Eden encostou os seus lábios à testa do filho e disse-lhe para ir para o quarto.
Passou as mãos pela face dela tentando acordá-la algo que sucedeu pouco tempo depois. Abriu os olhos e vendo Eden à sua frente sorriu e colocou as suas mãos em torno do pescoço dele enquanto este lhe pegou ao colo onde Núrio rodeou-a a cintura do seu namorado com as pernas. Já em caminho até ao quarto trocaram alguns beijos.
- Nu, o Yannis está no quarto. – avisou Eden  enquanto caminhava.
- Vamos dormir os três? – perguntou Núria entusiasmada.
- Não sei se…
- Eden… - por momentos pararam e ele colocou-a no chão – gosto tanto do Yannis, e as nossas noites a três são sempre tão lindas.
- Depois a Natacha diz que eu o habituo mal a dormir connosco.
- Esquece-a e pensa na felicidade do teu filho. – disse Núria com uma voz doce tentando com que Eden cedesse.
Agarrou a mão dele e foi até ao quarto, Yannis já estava deitado no meio da cama esperando por eles. Núria foi até ele e começou por fazer-lhe cocegas e dar alguns beijinhos, gostava tanto de Yannis, a criança ria e pedia-lhe para parar. Ela assim o fez e deitou-se de um dos lados da cama, deitando-se Eden de seguida no outro lado.
- Bonne nuit – sussurrou Eden passando a mão por Yannis chegando a Núria.
Yannis não se sentia bem ali, levantou-se sob o olhar atento do pai e de Núria, passou por cima dela ficando assim numa das pontas da cama. Agora estava tudo bem, Eden tinha a sua mão em contacto coma cintura da namorada e Yannis adormecia agarrado a Núria e ao seu peluche preferido.